20 de nov de 2013

Alergia a animais.

A alergia a animais domésticos é bastante comum. Contudo, o que surpreende é o quê causa a alergia: não são os pêlos e penas, mas os microscópicos fragmentos de pele que se desprendem da pele do animal que desencadeiam a reação de coceira, irritação nos olhos, espirros e congestão nasal nas pessoas sensíveis. Quais os sintomas? A alergia a animais domésticos varia de leve a grave, e as manifestações costumam surgir poucos minutos após o contato com o bicho de estimação. Os principais sintomas incluem: espirros, coriza, congestão nasal, urticária, falta de ar, tosse, e coceira nos olhos, no nariz ou na garganta. Se você possuir baixa sensibilidade aos alérgenos, os sintomas poderão levar várias horas para aparecer. Quais as causas? As pequenas partículas de pele que desprendem do animal terminam aderindo a você, suas roupas, tapetes e móveis da sua casa, além de serem carregadas pelo ar. Algumas pessoas são alérgicas à saliva dos animais, que pode estar presente nos lugares mais inusitados da casa. A maioria das pessoas não sente qualquer sintoma após ter contato com fragmento de pele ou saliva de animais de estimação, porém, se você possui um sistema imune sensibilizado, o menor contato destes alérgenos com seu corpo (seja através da inalação das partículas em suspensão ou após levar uma lambida do seu cachorro) será suficiente para desencadear uma reação de sensibilidade. Durante este processo, o corpo identifica os alérgenos como invasores potencialmente perigosos e produz uma grande quantidade de anticorpos para combatê-los. Na próxima vez em que você tiver contato estes alérgenos, o sistema imune irá liberar grandes quantidades destes anticorpos, desencadeando os sintomas de uma reação alérgica. Quais os fatores de risco? As alergias a animais domésticos são comuns, mas pessoas com antecedentes alérgicos na família podem um risco maior. Algumas pesquisas mostram que a exposição a animais domésticos durante a tenra infância pode ser capaz de reduzir o risco de alergia, mas ainda não está claro se este tipo de estímulo pode fazer mais mal do que bem. Como é feito o diagnóstico? A partir da suspeita, seu médico poderá recomendar um Teste de Sensibilidade Cutânea. Neste teste, pequenas quantidades de extratos purificados de alérgenos são aplicadas sobre a pele, em geral no antebraço. Após 15 minutos, o médico irá examinar o local das aplicações, procurando por sinais de reações alérgicas. Pessoas com aumento da sensibilidade para animais domésticos irão apresentar uma reação forte e com urticária intensa no local da aplicação dos alérgenos correspondentes a este grupo. O Teste de Sensibilidade Cutânea é bastante seguro e a urticária local dura no máximo até o dia seguinte. Se ainda houver dúvida ou se a pessoa não puder fazer o teste cutâneo, o médico poderá solicitar alguns exames laboratoriais para pesquisar sinais de alergia. Quais as complicações? Pessoas alérgicas a animais domésticos possuem um risco maior para desenvolver asma. Pessoas asmáticas, a exposição aos alérgenos presentes na pele de diversos animais domésticos pode piorar os sintomas e aumentar a freqüência das crises. Qual o tratamento? O tratamento mais eficaz é evitar o contato com animais domésticos. Se a reação alérgica estiver instalada, seu médico poderá prescrever antihistamínicos, descongestionantes ou sprays nasais com cromoglicato de sódio. Para pessoas com sintomas de asma, podem ser receitados corticosteróides e broncodilatadores inaláveis, ou mesmo Imunoterapia. A Imunoterapia consiste na aplicação de injeções contendo extratos dos alérgenos mais comuns presentes na pele dos animais domésticos. As injeções devem ser aplicadas a cada duas ou quatro semanas, e o tratamento completo pode levar até 2-3 anos.

Existem cães Micros?

Chegam pessoas querendo Poodle Zero, Yorkshire Mini, Maltês Micro, Pinscher 0, etc. Que tal dar uma esclarecida nisso tudo? Vamos lá: •Não existe Maltês Mini, Micro ou Zero. •Não existe Poodle Mini, Micro, ou Zero. •Não existe Yorkshire Mini, Micro ou Zero. Entretanto, algumas raças possuem a definição de Miniatura, como Pinscher, Schnauzer etc. Alguns criadores criam esses termos e os demais acabam tendo de seguir, pois chegam clientes dizendo: “Só quero se for o Mini”. Quando explicamos que não existe, o cliente acha que estamos mentindo, por não termos tal filhote. Isso acaba gerando muitos descontentamentos por parte dos clientes, por comprarem um Poodle Micro Toy e este ficar do tamanho de um Bull Dog (a título de exemplo). Falar por falar, é muito fácil, então, vamos nos embasar por fontes confiáveis. Esclarecimento De todas estas nomenclaturas, a mais aceita é a do Poodle Micro Toy, que consiste no Poodle com até 25cm (a medição vai do dorso ao chão). Porém, como as demais, ela não é oficial. Portanto, se você comprar um “Yorkshire Mini”, “Yorkshire Mini”, “Maltês Zero” etc, não espere que isto venha escrito no Pedigree de seu bichinho, por mais que ele seja muito pequeno, pois não virá. Lembre-se que, quando perceber que seu animal não está nos padrões prometidos pelo vendedor, você já estará bastante apegado para simplesmente trocá-lo.

Tratamento para Giardíase Canina.

Os agentes quimioterápicos incluem os nitroimidazóis ( metronidazol, tinidazol), furadolizona, benzimidazóis (febendazol, albendazol), entre outros. Existem várias drogas que já foram testadas para o tratamento da giardíase, entre elas estão o Metronidazol, a Quinacrina, o Albendazol, o Fenbendazol e a Furazolidona . Dentre estas, o Metronidazol é a droga mais utilizada nos Estados Unidos para o tratamento da Giardíase. O Metronidazol possui além de sua atividade como antiprotozoário, uma atividade como antibacteriano, atacando bactérias anaeróbias como Clostridium spp., Fusobacterium spp. Peptococcus spp. e Bacteroides spp. 3,13. A droga apresenta in vitro propriedades anti-inflamatórias e afeta a motilidade de neutrofilos, assim como alguns aspectos da imunidade celular. Acredita-se que estes fatos sejam parcialmente responsáveis pela melhora do quadro clínico, em especial, nos quadros de enterocolite. Raramente observa-se efeitos colaterais devido ao uso do Metronidazol, no entanto alguns animais poderão apresentar vômitos e diarréia. Por possuir efeito teratogênico, esta droga não deve ser utilizada em fêmeas prenhes. Em cães, as doses recomendadas são de 25mg/Kg via oral, duas vezes ao dia por 5 dias; e 12,5 a 25mg/Kg via oral, duas vezes ao dia por 5 dias, em gatos. O Metronidazol é igualmente vantajoso nos casos onde os tratamentos anteriores não funcionaram. Nestes casos, recomenda-se utilizar doses maiores de Metronidazol, por um período de tempo maior (50mg/Kg, V.O., BID, por 10 dias). Como foi mencionado anteriormente, a diarréia pode ser causada por infecções simultâneas por diferentes agentes enteropatogênicos. Deste modo torna-se interessante a associação de drogas ampliando o espectro de ação, como por exemplo a associação de Metronidazol com a Sulfadimetoxina. Com efeito, enquanto o Metronidazol atua preferencialmente contra Giárdia, a Sulfadimetoxina age contra outros protozoários e bactérias patogênicas do trato gastrintestinal. Deste modo, a associação Metronidazol/Sulfadimetoxina representa um valioso instrumento terapêutico para o clínico. O tratamento deve ser restabelecido caso não ocorra resolução dos sintomas. Existe a grande probabilidade do animal persistir eliminando os cistos nas fezes, mesmo após tratamento. O mais comum é que a base do tratamento da giardíase seja eliminar os sinais clínicos associados com a infecção. Nos animais, freqüentemente ocorre a reinfestação, se os cistos infectantes não são retirados do ambiente. Isto implica em uma limpeza e desinfecção profundas sempre que possível, além de assegurar que a água e o alimento não se contaminem com as fezes.

Diagnóstico da Giardíase Canina.

O método mais indicado, hoje, para a detecção de Giárdia nas fezes é a Flotação com Sulfato de zinco com centrifugação, um teste diagnóstico econômico e muito eficaz. Um fator importante é a necessidade de utilizar três amostras de fezes, coletadas em dias alternados, ao longo de uma semana. Isto porque a eliminação de cistos é intermitente, o que pode gerar resultados falso-negativos quando se utiliza uma única amostra.

Sinais Clínicos de Giardíase Canina.

Os sinais clínicos podem ser severos, mas uma grande parcela dos infectados pode permanecer assintomática, e os animais jovens são os que, mais freqüentemente desenvolvem os sintomas. Os sinais clínicos da giardíase incluem diarréia mal cheirosa aguda ou crônica, vômito, dor abdominal , desidratação, perda de peso ou redução do ganho do mesmo. Não existem sinais característicos da giardíase, pois diversas enfermidades intestinais se assemelham a ela, como ocorre com as gastroenterites virais, as bacterianas e as causadas por outros parasitos. Também se assemelha às alergias de origem alimentar, à enfermidade da má-absorção, a gastroenterite induzida por fármacos e as enfermidades alérgicas.

Giardíase Canina.

A Giardíase Canina é uma das causas mais comuns de problemas intestinais em cães e seres humanos. É uma doença causada por um protozoário flagelado, Giárdia lamblia que infecta o intestino delgado de cães e outros mamíferos, incluindo o homen. No mundo todo, cerca de 250 milhões de pessoas apresentam giardíase sintomática, estimando-se que ocorram 500.000 novos casos por ano(OMS, 1996). Como muitos animais, incluindo os de estimação (como cães e gatos), também são infectados por Giardia, eles podem tornar-se uma fonte da doença para humanos. Em cães os principais sintomas são diarréias, vômito, depressão e perda de peso. Uma vez instalada a doença, o animal fica mais suscetível a outras enfermidades mais graves e até fatais. A infecção ocorre quando o animal ingere o cisto( forma em que o protozoário se encontra nas fezes), seja através do contato com outros animais como pela água e outros alimentos contaminados. É importante lembrar que os seres humanos também podem desenvolver a doença e, neste caso, hábitos de higiene e programas anuais de vacinação dos cães são fundamentais para a proteção de toda sua família. O controle esta diretamente relacionado as Boas Práticas de higiene ambiental. Os cistos de Giárdia sobrevivem no ambiente e, desta forma, são fonte de contaminação e principalmente reinfestação para os cães, sobretudo de canis. A remoção imediata das fezes limitará a contaminação ambiental. Os cistos são inativados pela maioria dos compostos de amônio quaternário, água sanitária, vapor e água fervente. Os cistos contaminam também os pêlos dos cães, representando uma fonte de infecção, principalmente para as pessoas que tem um contato mais freqüente com seus animais. A giardíase é uma doença comum de cães, gatos e humanos, que freqüentemente é subestimada. É uma zoonose importante e é imperativo que tanto o animal de estimação quanto a família protejam-se da infecção. O tratamento pode fornecer um controle eficaz, mas, em muitas situações, as reinfestações são comuns, devido à dificuldade em se eliminar a fonte de infecção do meio ambiente. As taxas de infecção são altas nas áreas onde existem grandes populações de humanos e animais, devido a maior oportunidade de transmissão direta e indireta da enfermidade. A ingestão de somente 10 cistos é capaz de causar a infecção. A maior prevalência das infecções por Giárdia ocorre entre os indivíduos jovens, sem resistência imunológica, e que são mais suscetíveis à ingestão de material fecal. As fontes de infecção mais comuns são água e fezes contaminadas. A transmissão fecal-oral de Giárdia é comum tanto em animais como em humanos; os animais em confinamento podem estar expostos a grandes quantidades de cistos infectantes no material fecal, o qual aumenta as possibilidades de transmissão da enfermidade. Os trofozoítos de Giárdia não sobrevivem no meio ambiente. No entanto, os cistos são resistentes a alguns fatores ambientais, como águas com baixa concentração de bactérias e contaminantes orgânicos, e suscetíveis a outros, como altas temperaturas. É considerada uma enfermidade emergente, devido à falta de métodos efetivos de controle em humanos e animais. Um dos principais problemas é a contaminação ambiental disseminada. A Giárdia com seu ciclo de vida simples e a capacidade de seus cistos de sobreviver no ambiente, tem permitido que a infecção se converta em uma das mais predominantes enfermidades parasitárias em muitas espécies de mamíferos.

Linguagem verbal dos cães.

Por que um cachorro uiva? Essa é uma tentativa de localizar alguém, talvez você ou o cachorro da rua. Quando você sai pra trabalhar, é possível que o cão uive na tentativa de fazer você voltar. Quando um cão começa a uivar na vizinhança, normalmente outros se juntam a ele – é um tipo de “conference call”. Por que um cachorro rosna ou “resmunga”? Isso significa “se afaste”. Você verá um cão rosnar quando outro cão se interessa por sua comida. Seu cão pode rosnar para um estranho que ele não goste ou para você, quando tenta tirar seu brinquedo. Esse é de fato um jeito muito eficiente de se comunicar e indica que você pode negociar o brinquedo com ele. Uma postura agressiva e silenciosa é a mais perigosa de todas. O grunhido ou murmúrio Isso costuma indicar que seu cão quer alguma coisa. Esse é um som interessante porque é quase manipulador – o cão sabe que se latir vai se dar mal, mas com um sutil “grunhido” pode conseguir o que ele quer. Esse som também é ouvido quando cães cumprimentam outros cães ou humanos. O choramingo Cães choramingam quando estão ansiosos ou com dor. Às vezes eles descobrem que ganham atenção quando choramingam e usam isso em benefício próprio. Por que o cachorro geme? Isso indica frustração. Eles querem “reclamar” de alguma coisa. Por que o cachorro late? Há diferentes tipos de latidos. Um latido estridente indica empolgação e felicidade. Um latido baixo indica agressão e provavelmente é uma ameaça. Cães latem para chamar a atenção, para responder a outros cães, indicar que estão felizes e para alertar humanos sobre um problema. Infelizmente, seu cão pode detectar um “problema” que você não viu nem ouviu, como uma sirene distante ou o gato do vizinho se escondendo na árvore. Veja como ensinar seu cão a latir menos. Lembra quando a Collie“>Lassie correu pela estrada em busca de ajuda porque Timmy tinha caído em um poço? Com dicas verbais e linguagem corporal ela conseguiu conduzir a equipe de resgate até a cena do acidente. Ao entender a linguagem do nosso cão, nos comunicamos melhor com eles e evitamos mal-entendidos comuns. E você pode ter certeza de que seu cão não enlouqueceu quando começar a resmungar sozinho o tempo todo.

Linguagem Corporal Canina. Expressões Faciais

Confiante e Relaxado • Postura – ereta • Rabo – abanando lentamente • Orelhas – atentas, mas com aparência relaxada • Olhos – pupilas pequenas • Boca – fechada ou lábios ligeiramente separados Assustado ou Ansioso • Postura – abaixado • Rabo – encolhido • Orelhas – para baixo • Olhos – olhar arregalado com partes brancas a mostra • Boca – ofegante Agressivo • Postura – rígida • Rabo – para cima ou para trás, muito rígido • Orelhas – atentas • Olhos – intensos, focados • Boca – lábios puxados para trás e alguns dentes a mostra • Arrepios – há uma linha de pêlos que começa na base do pescoço e vai até os ombros. Ela aumenta se o cão estiver agressivo e diminui se ele está relaxado. Medo-Agressivo • Postura – o cão fica recolhido para si mesmo • Rabo – completamente encolhido • Orelhas – para baixo • Olhos – olhos arregalados e com perda de foco • Boca – lábios ligeiramente para trás ou bem ofegante Relaxado • Postura – deitado ou de pé sem nenhuma vigilância • Rabo – para cima abanando ou solto naturalmente • Orelhas – em seu estado normal, dependendo da raça (as orelhas de um Terrier estariam para cima, mas relaxadas, as de Hound estariam para baixo) • Olhos – dilatação normal da pupila, focada, mas não olhando fixamente • Boca – aberta e levemente ofegante

25 de set de 2013

Tosse dos Canis.

Ignorada por muitos médicos como zoonose (doenças transmitidas pelos animais ao homem), a tosse dos canis é uma doença extremamente comum entre os cães. A reclamação de engasgo, vômitos, tosse seca frequente e incessante é ouvida comumente pelos veterinários. De causa bacteriana (bordetela) ou viral (influenza), também é conhecida como gripe canina, esta enfermidade costuma ser transmitida através da exposição de animais com seres humanos em ambientes fechados e entre cães em canis com alta concentração de animais (hotéis, internações). A bordetela também pode afetar outras espécies domésticas, sendo nos humanos de apresentação com pigarro, irritação na garganta, ausência de febre ou placas na faringe, muito confundida com processos alérgicos por profissionais de saúde. Informe-se, se o seu cão está tossindo ao mesmo tempo que você ou algum familiar, não deixe de informar isso ao médico. E em relação aos nossos cães, a melhor maneira de prevenir é a vacinação. Existem vacinas específicas contra essa enfermidade e todos os proprietários de cães deveriam saber e questionar seus veterinários.

O que é Giardíase.

Giardíase é uma das principais causas de diarréias em filhotes e adultos de cães. O parasita é um protozoário e se desenvolve no intestino dos animais e dos humanos causando diarréia intermitente (vai e volta), de aspecto mucóide e sanguinolento as vezes, causando perda de peso progressivo pela dificuldade na digestão e absorção dos alimentos. O ciclo consiste em contaminação ambiental (água, piso etc) pelas fezes de animais infectados, e posterior ingesta de alimento ou água contaminados. O parasita resiste por um longo tempo no ambiente e muitas vezes resiste até a alguns tipos de desinfetantes, tornando seu controle, por vezes bem dificultoso. Não é raro animais serem tratados e recidivarem, mesmo com tratamento correto, por isso a importância do controle ambiental em conjunto com o medicamentoso. A vacinação de cães sadios também se encontra disponível e é uma boa ferramenta de prevenção, porém alguns cuidados de higiene e manejo são de maior importância como evitar andar com o animal em locais onde existam fezes de animais suspeitos ou não controlados. Ambientes contaminados podem ser residências com alto grau de limpeza, portanto o uso correto de desinfetantes, vacinações, desverminações frequentes devem ser utilizados conjuntamente a fim de manter a saúde do seu animal de estimação.

29 de mar de 2013

Shih Tzu, Yorkshire, Maltês, Pug, e, demais raças que alguns criadores usam errôneamente o termo micro, mini, miniatura.

Na busca por um novo companheiro da raça Yorkshire Terrier, há uma verdadeira corrida pelo exemplar menor. E cada vez mais outras raças são incluídas nessa busca pelo menor exemplar, como o Shih Tzu,Maltês, o Pug etc. A maioria das pessoas desconhece como pode ser grande a diferença de convívio determinada por tamanhos diferentes. O padrão oficial da raça, publicado pela Confederação Brasileira de Cinofilia, filiada à Federação Cinológica Internacional, estabelece que um York adulto deverá ter o peso maximo de 3,150kg, sem estabelecer peso mínimo. Para atender à procura, o York acabou subdividido em denominações não reconhecidas oficialmente pela Cinofilia. Nos anúncios de venda, os nomes mini, micro, zero ou anão são geralmente atribuídos para exemplares com o peso abaixo de 1,5kg. Essa classificação decorre da diferença de peso e tamanho facilmente perceptível entre Yorks, além das variações comportamentais tornarem-se mais óbvias à medida que o porte diminui. Isso é muito preocupante. Embora não se determine limite mínimo de peso, é sabido que exemplares com menos de 1.5kg tem maior tendência a desenvolver uma série de problemas, a começar pela extrema fragilidade física. As fêmeas miniaturizadas nem sequer conseguem ter partos normais, requerendo cesarianas. Além disso os cães frequentemente apresentam moleira aberta, epilepsia, hidrocefalia e várias caracteristicas de nanismo, como cabeça abobadada e olhos redondos demais. Na verdade, dificilmente um York miniaturizado tem aparência bonita e saudável. Em geral, é desproporcional. Quem procura por esses exemplares minúsculos é tão responsável pelo problema quanto quem o produz. Hoje já há informação suficiente para que todos saibam que a miniaturização do York assim como de qualquer raça é extremamente prejudicial à saúde dos cães. Não há justificativa para estimulá-la. O consumidor precisa ser consciente. Por mais que achem encantador um cãozinho miniaturizado, não deve comprá-lo. Do contrário está contribuindo para que criadores inescrupulosos os continuem produzindo. É claro que as vezes, mesmo numa criação séria e planejada nasce um filhote ou outro menor do que o ideal, mas estes devem ser afastados da procriação caso sua caracteristicas fujam do padrão da raça. No Brasil, a questão da miniaturização é tão grave que criadores sérios não estão conseguindo competir com os termos mini, micro, zero e anão. Tudo isso acaba gerando resultados nocivos. Muitos que se dizem “criadores”, a fim de atender a demanda, tentam conseguir exemplares cada vez menores. O resultado é o nascimento de cãezinhos tão frágeis que exigem tratamento diferenciado. Esses exemplares começam a ter as características da raça diluídas. Os exemplares saem disformes e podem até ser classificados como verdadeiras aberrações. E esse tipo de ocorrência é observada na maioria das vezes. ::: Lembre-se: A criação oficial não gera, não gosta e não usa os termos anão, micro ou mini.

7 de mar de 2013

Quais são alguns detalhes que eu deveria procurar ao escolher um veterinário?

É a instalação limpa e confortável? São os técnicos e front office e funcionários da clínica outras amigável e profissional? Como muitos veterinários estão disponíveis na clínica? Você é capaz de escolher um deles como seu veterinário permanente, de modo que você pode ver a mesma pessoa cada vez que você entrar? Você deve ser capaz de ver os graus e credenciais de seu veterinário afixado nas paredes da clínica. São testes como exame de sangue, raios-X e ultra-som feito no local, ou terceirizado para outras clínicas? São serviços como higiene, unhas corte e limpeza dental disponível? Peça para visitar a área do canil. Se o seu animal de estimação tem para passar a noite, você quer certificar-se as gaiolas estão limpas e sem odor. Gato gaiolas são geralmente separados de cães para minimizar o stress para os animais. A maioria dos veterinários e clínicas de animais estão abertos durante o horário normal de expediente, de segunda a sábado. Algumas clínicas grandes estão abertas aos domingos também. A maioria não estão disponíveis depois de horas. É importante perguntar ao seu veterinário para o nome, localização e número de telefone mais próximo da clínica de emergência 24 horas animal. Se ocorre uma emergência médica para o seu animal de estimação no meio da noite, você não vai querer desperdiçar caça de tempo valioso para uma clínica aberta. Embora não seja essencial, você pode querer ver se o seu hospital veterinário inclui um “gato escritório.” Estes são geralmente complacentes, gatos adultos amigáveis que vivem na clínica e servir como emissários e recepcionista. Eles costumam dormir em cima da mesa da frente, e são maravilhosos para acalmar os proprietários nervosos enquanto passam o tempo na sala de espera. Um gato de front office transmite simpatia e boa vontade para com os clientes e dá preocupados cães trêmulas algo para se pensar diferente do seu exame pendente!

Como escolher um Veterinario?

A maioria das pessoas gostam de escolher uma clínica veterinária ou pet que está perto de sua casa. Isso não só torná-lo mais conveniente, mas também é importante ter um hospital veterinário ou animal nas proximidades deve a sua experiência de estimação uma emergência médica. A maioria dos gatos não gostam de ser confinado por um passeio de carro, para uma viagem mais curta para o veterinário é menos estressante para os seus amigos felinos. Se você está escolhendo um veterinário pela primeira vez, a palavra da boca é provavelmente a melhor maneira de começar. Pergunte ao seu animal de estimação-possuir amigos, parentes e vizinhos se eles podem recomendar um veterinário local, que eles usaram. Se você não conhece ninguém na área, um rastelo, instrutor de cão ou animal abrigos profissional deve ser capaz de lhe dar algumas dicas. Se você entre em contato com uma escola de veterinária, eles serão capazes de lhe fornecer uma lista de veterinários em sua área. Cuidado veterinário deve ser uma parte rotineira de seu cão ou gato vida. É sempre melhor consultar um veterinário para um exame de rotina ou vacinas em primeiro lugar, por isso, se você tem que entrar para uma doença animal grave ou de emergência, você saberá que você tem um profissional médico com quem você se sinta confortável. Encontrar um veterinário, que se relaciona bem com o proprietário humano é tão importante quanto encontrar um que trabalha bem com o seu animal de estimação. Durante um evento médico, o dono do animal é muitas vezes tão nervoso e chateado (se não mais) do que o cão ou gato. Se você não puder pagar uma clínica veterinária, existem opções mais econômicas, por vezes, através de um abrigo para animais ou grupo local de resgate de animais. Com os custos de assistência médica de estimação aumentando, existem muitos tipos diferentes de seguro de animal de estimação disponíveis agora também. As pesquisas na Web pode ser útil para ajudar a determinar a melhor opção veterinário para seus animais de estimação. Dogster.com e Catster.com têm recomendações locais que você pode pesquisar até encontrar alguém adequado na sua área. A medicina veterinária é um campo altamente especializado. Veterinários têm de completar o mesmo número de anos na escola médica como médicos humanos e da concorrência para entrar em uma faculdade top veterinária é extremamente intenso na América do Norte. Escolas de EFP de topo em os EUA incluem a Universidade da Califórnia em Davis e Cornell. Alguns veterinários são placa certificada em áreas específicas da medicina, como cardiologia ou oftalmologia. Eles estudaram um período adicional de dois a quatro anos para obter este grau especializado. Consultórios veterinários podem ser pequenas, doutor única operações ou clínicas de animais de grande porte. Serviços irá variar de acordo com o tamanho. Muitas das operações maiores oferecem instalações de embarque, bem como pet grooming, além de cuidados médicos.

Stress. Uso de calmante para cachorro

Escolhendo o calmante para cachorro adequado. Cada animal reage de maneira diferente a estes produtos naturais, por isso, se você achar que seu animal de estimação não responde bem a um, tentando considerar um produto diferente. A escolha certa para o seu animal de estimação é o que ele aceitará prontamente. (1) Difusores Continuamente trata o suprimento de ar de toda a sala para dar a seu cão uma sensação de bem-estar.Excelente para animais de estimação com ansiedade de separação leve ou stresse crônico. Calmante natural para cachorro. Inodoro e não tóxico. (2) Gotas Acalma sem fazer seu animal de estimação demasiado sonolento. Pode ser colocado na boca ou disfarçado em água ou comida. Administrar 30-60 minutos antes da situação stressante. (3) Barrinhas de comida para roer Ajuda o seu cachorro a manter a calma. Ótimo para viagens ou em casa. Opções de veterinários Para casos mais grave de ansiedade, o seu veterinário pode sugerir um medicamento anti-ansiedade, tais como a clomipramina , juntamente com exercícios de treinamento de modificação de comportamento. Estes tratamentos combinados são eficazes no tratamento de ansiedade de separação grave. A medicação ajuda a relaxar o seu cão para que ele possa se concentrar nos exercícios de treinamento de modificação de comportamento, o treinamento é o que realmente muda a resposta do cão a uma situação stressante.

Higiene, e, saúde de seu filhote, ou, cão adulto.

Como dar um banho no seu Cachorro. O sentido de um cão de cheiro é 100 vezes maior que um ser humano para que eles possam sentir as coisas de grande complexidade. Eles podem pegar os odores de uma só vez, de modo que, quando sentir o cheiro do lixo, eles também podem pegar o osso de galinha na parte inferior do mesmo. É o sentido mais importante usado para interpretar o ambiente de um cão.Acredita-se que um cão tenta camuflar o seu próprio cheiro com coisas fedorentas, mas também é verdade que os cães usam seus cheiros para se comunicar com outros caninos.Alguns dizem que um cão pode sentir medo ou até mesmo câncer. Mas uma coisa é certa – sem cães a nossa intervenção vai cheirar mal. Então, o que têm os seres humanos concebidos para livrar nossos cães de sua smelliness? O banho. Mas não é só um banho simples. Banhando um cão pode ser muito complexo nos dias de hoje com a infinidade de opções de ferramentas e técnicas de banho. Porquê Pergunte a si mesmo por que você está banhando seu cão. Se seu cão não rola em qualquer coisa fedorenta, mas só tem o cheiro cãozinho normal, é recomendado que você banhá-lo uma vez por mês. Se você está banhando-lhe isso muitas vezes, não se esqueça de usar um champô suave, tal como aquela que contém aveia. Use champôs medicamentosos só vez todas as outras. Se o seu cão entrou em contato com algo fedido, considere a fonte do cheiro antes do banho. Uma corrida com um gambá requer um shampoo especial, como um posto para fora por milagre da natureza ou, talvez, o tempo-testado banho de suco de tomate. Um rolo em algo como fezes vai exigir várias lavagens. Quem Em seguida, decidir quem vai dar a seu cão um banho. Se você tiver sorte o suficiente para ter um adolescente que quebrou toque de recolher, a sua resposta está aí. Você, é claro, pode optar por levar o seu cão para um catador ou você pode enfrentá-lo sozinho. O ideal seria duas pessoas devem estar na equipe para torná-lo mais rápido e menos traumático para o seu cão. Onde Alguns cães são muito confortáveis ​​sendo lavada fora. A desvantagem é a água de sua mangueira provavelmente será frígida. A maioria dos cães vai se acostumar a ser banhado em uma banheira de pessoas ou uma banheira de cão. Apresentá-lo devagar, dando muitos elogios e alguns trata quando ele entra e estadias. Quando Se você estiver indo para lavar o seu cão fora, certifique-se que a temperatura é tão suave quanto possível. No inverno, esperar por um dia mais quente ou considerar a mudança para banhos de dentro para a época. O melhor é lavar o seu cão antes que ele teve pequeno-almoço ou jantar, a comida vai funcionar como uma recompensa e ajudá-lo a se acalmar depois. Ferramentas Fora Banhos – Você vai precisar de uma mangueira que atinge todo o seu cão que você não quer ter que movê-lo uma vez que você começou. Compre um acessório da mangueira para que você possa controlar a quantidade de água atinge o seu cão. A Banheira – É perfeitamente OK para usar sua banheira, mas considerar a obtenção de um anexo para o chuveiro feito especificamente para o banho do cão. Se você tem um chuveiro com configurações mais baixas, que vai funcionar tão bem. Você também pode obter banheiras de cães que vêm em aço inoxidável, tela tratada (para os portáteis), e borracha.Certifique-se que a banheira é grande o suficiente para o seu cão a deitar-se dentro Tether Banhos – Estes podem ser encontrados em lojas de animais de grande porte. Uma concha – Muitas coisas podem servir como uma concha tal como um recipiente de plástico ou um jarro de borracha. Não use vidro. Algumas esteiras de banho – de dispersão desses perto da banheira e ao redor da casa de banho. Xampoo – Use um champô suave do cão para o banho do seu cão, usando apenas os medicamentosos, tal como necessário para condições tais como pulgas e psoríase e como recomendado pelo seu veterinário. Um shampoo com farinha de aveia é calmante para a pele, como é um com camomila ou aloe vera. Para os cães realmente fedorento, combinar uma parte de vinagre com uma parte de água e despeje-o sobre seu cão. Deixe descansar por alguns minutos e depois lave. Condicionador – Quer o Golden ter emaranhado livres de bloqueios? Então condição! Você pode usar um condicionador de cão regular e deixe descansar por alguns minutos ou experimente um dos tipos leave-in. Além de fluxo de pele, a pele do seu cão vai ser ainda mais hidratada. Lave Pano – Escolha um tamanho apropriado para girth do seu cão. A esponja porosa natural, também irá funcionar. Toalha – Experimente uma toalha super absorvente, pois isso fará com que a secagem muito mais rápida. Secadores de cabelo – Se seu cão vai tolerar isso, use um secador de cabelo sobre as configurações baixas. Retire o seu cão da banheira primeiro e fazer uma toalha de secagem rápida. Como O grande momento chegou e você está pronto para começar. Seguindo estas instruções vão ajudar você a se banhar seu cão de forma rápida e completamente e ajudar a segurar o choque batalha mínima para seu cão. Organizar (Tranquilamente) Reúna suas ferramentas e ponta dos pés até o banheiro. É provável que o seu cão vai ser curioso, mas esperar até que você esteja configurado para incluí-lo na mistura. Coloque o shampoo e condicionador para o lado que vai estar perto de sua mão livre (a outra será segurando o seu cão). Já a toalha cima e para fora da água. Lugar trata de um local de fácil acesso, tais como o seu bolso Respirar Tome um momento para respirar e verifique se você está em um estado de espírito calmo.Mesmo os melhores banhistas caninos pode surtar por razões aparentemente não. É importante lembrar que seu cão está chateado e, embora este seja um momento de comandos, não é hora de perder o seu temperamento. Buscar o Cachorro Usando deleites e uma voz encorajadora, atrair o seu cachorro para o banheiro. Se ele foge pausa, e tente novamente. Você pode usar um chumbo se for feito com cuidado e você também usar os comandos que ele sabe, como "Vem!" Banho Enxague de água quente o seu cão certificando-se de pegar as pernas e barriga. Ele deve estar completamente molhada. Quando você vem a sua cabeça, cubra os olhos e deixar a água rolar suavemente a cabeça e focinho. Em seguida coloque xampu algum em suas mãos e obter um pouco de água, esfregando-o em uma espuma. Comece com os ombros, massageando suavemente sabão nas suas costas. Continue a reabastecer as mãos com shampoo. Exercite-se para a ponta de sua cauda, ​​então as pernas para trás, então sua barriga, depois as pernas dianteiras e no peito. Termine levemente ensaboar a cabeça. Imediatamente lavar a cabeça, cobrindo seus olhos, e então continuar a lavar, começando com os ombros novamente. É imperativo que você começa todo o sabão fora como resíduo pode causar uma reação alérgica. Condição e enxaguar, se desejar. Secagem Comece sempre com a cabeça do seu cão, pois é incômodo para eles para tê-lo molhado.Toalha de secar completamente ou apenas rapidamente se você estiver indo para usar um secador de cabelo. Seja o seu cão usado para o secador de cabelo lentamente, aumentando a quantidade de tempo que está ligado. Assim como os criadores e alguma reivindicação popular cão que há cães hipoalergénicos, algumas pessoas afirmam que existem raças que não têm aquele cheiro de cachorro.Enquanto raças como o Poodle eo Terrier Wheaten vertem menos, não há garantia de que você não vai ainda ter alergias. Da mesma forma, um cão sem um cheiro cãozinho é quase impossível. Mesmo Basenjis têm dias maus. Se, após o banho, o cão ainda é pungente, considere um dos muitos perfumes do doggy e controladores de odor no mercado. Enquanto os cães não precisam desodorante, eles podem ficar um pouco enfeitar-se agora e depois.

Saúde, e, higiene com seu animal de estimação (cachorro), (filhotes).

Cortar Unhas do Cachorro. Cortar as unhas a um cachorro, é na maior parte das vezes uma tarefa bem difícil. Pois como donos nunca queremos magoar o nosso amiguinho de quatro patas. Deste modo se quer que esta tarefa se torne mais fácil, é fundamental que comece a tocar nas patas e unhas do seu cachorro desde bebé, para que este no futuro se sinta confiante e seguro quando lhe tocar nas patas, pois como sabemos, normalmente os cães que não estão habituados a ser tocados nas patas e unhas tendem a ficar nervosos e com tremores quando o dono lhe corta as unhas. o que de certa forma pode levar o dono a pensar que o está a magoar, contudo não é o caso, simplesmente o cão não se sente confortável com a situação. Como sabemos a tonalidade da cor das unhas dos cães, pode variar entre o transparente e o preto. Claro que se o seu cão tem as unhas transparentes o processo de corte das unhas é muito mais simples e os riscos de vir a magoar o seu canino serão quase nulos. Nas unhas transparentes é muito mais fácil de visualizar o sabugo da unha, apresentando-se este numa tonalidade rosada. Por sua vez nos cães cuja tonalidade das unhas seja preta também é através da cor que poderá verificar até onde poderá cortar as unhas do seu cão. Isto porque ao cortar as unhas e quanto mais próximo estiver do sabugo o interior da unha tende a ficar mais negro, logo quando verificar esse acontecimento deve parar de imediato, de forma a não ferir o seu cachorro. Logo ao cortar as unhas do seu cachorro o mais importante é nunca ferir o seu sabugo, pois ao ferir o sabugo ira originar libertação de sangue, esta que em casos mais graves terá de ser tratada pelo veterinário, e claro o seu cão irá sofrer dores constantes. Antes de cortar as unhas ao seu cachorro é fundamental que tenha um utensílio apropriado, pois o corte das unhas dos cães requer a utilização de um utensílio específico, uma vez que estas são bastante duras, logo é impensável utilizar o seu corta unhas no seu cão. Deste modo é recomendado que tenha uma guilhotina. Como cortar as unhas 300px Dog Paw Cortar Unhas ao CachorroComo fora referido anteriormente, para cortar corretamente as unhas do seu cão, é fundamental não ferir o sabugo das mesmas, pois é extremamente doloroso para o mesmo. Para além disso é muito importante que tenha atenção na forma com que corta as unhas, devendo ter o cuidado de as cortar sempre de baixo para cima e deve corta-las aos poucos, ou seja deve ir fazendo pequenos cortes de forma a evitar o contacto direto com o sabugo. Quando cortar as unhas Geralmente o período de corte das unhas poderá variar entre 3 e 6 semanas, dependendo do tipo de cão. Pois um cão que esteja constantemente dentro de casa e que vá poucas vezes à rua necessita muito mais de cortar as unhas do que um cão que ande constantemente na rua, isto porque na rua há um desgaste maior das unhas o que leva a que o cão não necessite de cortar as unhas regularmente. No entanto se não se sentir à vontade para cortar as unhas do seu cachorro poderá sempre leva-lo ao veterinário.

10 Dicas para manter a sua casa livre de pulgas.

As pulgas foram em torno de um tempo muito longo, irritando nossos animais de estimação e invadindo nossas casas. Eles são inteligentes criaturinhas que podem sobreviver em qualquer lugar.Eles comem com moderação, se mover em silêncio e se reproduzem de forma agressiva. Essa é a má notícia. Mas aqui está a boa notícia: Nós podemos vencer a batalha de pulgas!Há medicamentos disponíveis que interromper o ciclo de vida da pulga e são seguros, eficazes e simples de usar. Os proprietários devem apreciar o quão fácil é para controlar pulgas agora, especialmente aqueles que se lembram de como é difícil a batalha contra pulgas tem sido. Quando comecei minha carreira como veterinário, os donos tiveram de pulverizar os seus cães com químicos tópicos todos os dias, mergulhá-los em inseticidas diluídos a cada semana, aplicar produtos químicos para seus quintais, e utilizar nebulizadores em suas casas para manter as pulgas à distância. Que confusão! Mesmo que tenhamos bons produtos de controle de pulgas, não podemos baixar a guarda.Pulgas estará sempre connosco, então aqui estão algumas dicas extras para ganhar a batalha da pulga: 1. Torne-se um proprietário educado do cão. Aproveite o tempo para aprender a verdade suja sobre pulgas. A) pulgas adultas visíveis representam apenas 5 por cento da população de pulgas. O outros 95 por cento esconder em sua casa sob a forma de ovos, larvas e pupas maggotlike. B) A pulga fêmea pode colocar até 50 ovos por dia. C) As larvas são repelidos pela luz e enterrar-se as fendas e rachaduras de sua casa em pavimentos e estofos, onde podem permanecer por meses. 2. Conheça os sintomas. picadas de pulgas têm certas características distintas. A picada pode causar imediatamente um cachorro para sentir-se extremamente itchy. Dentro de 30 minutos de uma mordida, eles podem desenvolver um galo vermelho. As infecções secundárias causadas por arranhões também são comuns. 3. Trate as picadas de pulgas. Lave as picadas com sabonete anti-séptico, como recomendado pelo seu veterinário, para reduzir o risco de infecção. 4. Eliminar as pulgas em todas as fases. O ciclo de vida da pulga inclui os adultos, ovos, larvas (larvas) e pupas (estágio do casulo). Inseticidas típicos não eliminar as pupas. Use um regulador de crescimento de insetos para quebrar o ciclo de vida da pulga – a minha preferência aqui é Tabs Sentinel (milbemicina oxima / lufenuron) sabor, mas seu veterinário pode oferecer recomendações bem. 5. Livrar-se das pulgas na rua. Se o seu cão pega uma "carona" pulga enquanto ao ar livre, use um medicamento adulticida que mata as pulgas adultas. Converse com seu veterinário sobre o melhor produto para seu animal de estimação. 6. Verifique regularmente o seu cão de pulgas. Não espere até ver o seu cão coçando.Freqüente escovar ajudará a espalhar óleos naturais protetoras sobre o revestimento do seu animal de estimação, reduzir o derramamento, e dar-lhe uma oportunidade de olhar para as pulgas. 7. Evite áreas problemáticas. Mantenha o seu animal de estimação longe das áreas conhecidas por terem problemas de pulgas. Não tenho certeza se o parque local é seguro?Faça a sua casa para garantir o parque local do cão tem um bom programa de controle de pulgas. 8. Noivo do quintal. Não basta verificar o seu cão de pulgas – tratar seu meio ambiente também. Remover vegetação rasteira das árvores, e ancinho folhas onde pulgas e carrapatos podem se escondem. Ao pulverizar o quintal de pulgas, concentrar-se nas áreas onde o animal passa a maior parte de seu tempo. Ovos e larvas provavelmente será derramado nos locais onde ele se deita. 9. Exterminar a casa. Em casa-de extermínio deve se concentrar em móveis estofados, tapetes, e carpetes. Aspire todos os pisos antes do tratamento em casa e verificar com o seu exterminador profissional para ver quando é melhor para aspirar após o tratamento. Se o seu animal dorme em sua cama, lave lençóis e fronhas em água quente e detergente para a roupa regular. Aspirar o colchão e travesseiros considerar a compra de novos. 10. Utilize o ano todo cuidado preventivo. espera muito tempo para usar tratamentos preventivos antes da temporada de pulgas e carrapatos vem por aí pode ser perigoso para seu cão. Proteja seu cão durante todo o ano para evitar uma infestação. Pergunte ao seu veterinário sobre qual produto é melhor para seu cão e não se esqueça de ler atentamente o rótulo antes de administrar a medicação.

Cães perfeitos para apartamento.

O Cachorro Buldogue Francês é um amor, cômico, cão, divertido doce e brincalhão. Ele gosta de rolar no tapete e aconchegar no sofá, e é o mais feliz de todos com seu dono. Ele precisa de um contacto estreito com sua família, e não deve ser deixado sozinho por muito tempo, ou ignorado. Ele é muito social e orientada para as pessoas, e precisa estar envolvida no que está acontecendo ao seu redor. Ele é apenas um cão de guarda assim-assim, porque ele é descontraído e não latir muito, ótimo cachorro para viver num apartamento – e principalmente porque ele quer se sentar no seu colo! Ele é extrovertido e geralmente bem-comportado. Ele não precisa de uma grande quantidade de exercício, embora ele como um passeio ou uma brincadeira na casa ou quintal. Ele é um cão interno, e não devem ser deixados ao ar livre. Você deve ter cuidado porque ele é muito sensível à temperatura e pode facilmente superaquecer. Ele é bom com outros animais de estimação e cães, mas pode ser agressivo com outros buldogues franceses do mesmo sexo. Ele está bem com os gatos se apresentado a eles como um cachorrinho. Ele raramente se encaixa ou morde ou perde a paciência, mas às vezes pode ser protetora. Ele é fácil de treinar. Você deve evitar abordagens de treinamento dura com ele, e sempre ser paciente e consistente. Ele é bom com as crianças, embora ele possa ser um pouco áspero e roupa para os muito jovens. Ele ronca. Ele pode babar (embora nem todos os buldogues franceses fazem). Ele é um meio shedder, e por isso não pode ser um bom animal de estimação se você estiver preocupado com o cão de cabelo na casa.